Conserv

Clima quente favorece a reprodução de cupins

O verão é a temporada das revoadas de cupins. Com dias muito quentes e úmidos, a estação favorece o desenvolvimento dos insetos. É nesse período que surgem aquelas nuvens dos chamados siriris ou aleluias — cupins com asas, reprodutores — em torno de pontos luminosos.

Aparentemente inofensivos, esses bichinhos invadem a casa com facilidade e, em pouco tempo, destroem móveis, quadros, livros e tudo que lhes servir de alimento.

Gerente de vendas da Insetfone, Sérgio Mendes cita os três tipos de cupins mais comuns no Rio: os arbóreos (que só atacam árvores), os de madeira seca e os subterrâneos, conhecidos como "de parede", maiores vilões.

— Não há muita prevenção para os de parede, mais difíceis de serem detectados. Já os de madeira se denunciam facilmente ao deixarem aquele famoso pozinho, que são as fezes deles.

Para prevenir danos causados pelos cupins subterrâneos, a dica é manter os móveis afastados das paredes, não acumular papel, checar sempre fundos de armários e áreas com maior umidade.

No caso dos cupins de madeira, deve-se evitar que siriris entrem em casa, apagando as luzes, colocando uma bacia com água embaixo das lâmpadas ou usando telas para proteger as janelas.

— Depois que eles invadem a casa, não há alternativa, a não ser recorrer a um tratamento especializado — explica Mendes.

Alimento

Além da madeira, que outros materiais costumam ser atacados por cupins?

De forma geral, os cupins gostam de tudo que é rico em celulose: estruturas de casas de madeira, restos de obras, móveis, quadros, livros, etc. No caso da madeira, eles comem, em uma progressão, das mais macias às mais duras. Papel e papelão são filé mignon para esses insetos. Diferentemente do que se acredita, eles não comem concreto, mas utilizam restos de obras para fazer ninhos.

Produtos

Há algum produto disponível no mercado e de fácil aplicação que elimine os cupins definitivamente?

Após uma infestação, só resta ao consumidor recorrer a um tratamento especializado. Todo o resto é paliativo. Vernizes e revestimentos especiais, querosene, creolina e outros produtos comumente aplicados em móveis de madeira só resolvem o problema na hora. Até água mata cupim. Mas, com o tempo, eles voltam.

Descupinização

Quanto custa, em média, o tratamento especializado, e com que frequência deve-se recorrer a ele?

A descupinização de um apartamento de dois quartos custa entre R$ 1.200 e R$ 1.400, com garantia de cinco anos para madeiras e de dois anos para paredes.

Fonte: www.extra.globo.com

mais em notícias

Proliferação de baratas aumenta na estação do calor

É nesta época do verão que o aparecimento de baratas se torna mais comum nas ruas e em residências. Afinal, é na estação do calor que ocorre a reprodução da espécie. Embora parecem inofensivas, as baratas 'carregam' microrganismos patogênicos na cutícula, asas, antenas, exoesqueleto e pernas, ou seja, praticamento todo o corpo.

Como transitam por lugares como lixos, esgotos e com má higienização, elas podem provocar muitas doenças nos humanos. Por isso, é importante ter atenção quanto ao acúmulo de lixo e a limpeza dos espaços.

Conforme o químico de um empresa de dedetização de Venâncio, Marlon Juliano Lima Weber, é nesta época do ano que aumenta a proliferação das baratas e, também, a busca pelo combate. 'A barata, entre os insetos, é a mais fácil de controlar', relata.

O profissional explica que existem dois tipos de baratas comuns no município: a periplaneta (a comum) e a blatella germânica (a menorzinha). A primeira, é mais comum em residências e a outra, é vista, principalmente, em estabelecimentos comerciais.

A blatella germânica é, segundo Weber, mais difícil de combater, pois ela aparece mais a noite. Além da dedetização, método mais eficaz para combatê-las, as formulas 'caseiras' ou os produtos comprados em supermercados também podem ajudar na eliminação. 'As vezes, mesmo limpo o ambiente, a barata pode aparecer por consequência do esgoto ou de acúmulo de lixo em algum local próximo', lembra.

Fonte: www.folhadomate.com

mais em blog

Doenças que são transmitidas por ratos

A leptospirose é uma doença que pode ser transmitida pela urina dos ratos. Ela é apenas uma das diversas patologias que podem ser transmitidas pelos roedores. Veja algumas doenças que podem ser transmitidas por ratos:

Ratos podem ser perigosos

É muito comum as pessoas fazerem uma limpeza na casa e descobrirem que esse lugar esta infestado de ratos. Os sacos de comidas aparecem furados e vazios, livros roídos e as embalagens de eletrodomésticos estão destruídos. A presença desses animais é horrível, mais não é motivo para desespero. Afinal, existem várias formas de combater esse roedor.A maior preocupação relacionada aos ratos está na transmissão de doenças que esse roedor pode causar. Os ratos contaminados podem ser tornar um perigo para a família e por isso deve ser combatido o mais rápido possível.

Doenças transmitidas por ratos

1. Leptospirose: essa doença pode ser causada por bactérias que ficam alojadas nos rins dos roedores. Por isso, elas acabam sendo transmitidas pela urina dos mesmos. Elas penetram através da mucosa e de algum machucado presente na pele. Quando acontecem as enchentes, os casos de leptospirose aumentam. O tratamento deve ser feito com antibióticos, porém se a doença não for descoberta a tempo pode levar à morte.

2. Peste bubônica ou negra: trata-se de uma das doenças mais antigas que se tem registrado. Ela pode ser transmitida pela pulga do rato de telhado e até hoje mata muitas pessoas em todo o mundo. Assim como a leptospirose, a peste bubônica também deve ser tratada com antibióticos.

3. Hantavirose: transmitida pela saliva e urina dos ratos, essa virose pode ser mortal se não for tratada. Não existe tratamento específico, são tratadas somente as infecções causadas por ela.

4. Tifo murinho: transmitida pela pulga do rato de telhado e o tratamento deve ser feito com antibióticos. 

5. Febre da mordida do rato: é transmitida pela mordida do roedor infectado. Pode ser passada também pela ingestão de alimentos contaminados com a saliva do rato. Provoca febre, dores musculares e vômitos, além de poder evoluir para pneumonias e até infartos.

6. Alergias e sarnas: o contato com o pelo dos roedores pode causar sarnas e alergias na pele humana.

Os ratos são animais que muitas vezes parecem inofensivos. Entretanto, várias doenças são transmitidas por ratos e podem trazer sérios problemas para os indivíduos infectados. O ideal é prevenir as doenças eliminando os ratos da sua casa e outros ambientes de contato com o mesmo.

Fonte: www.mundodastribos.com

mais em blog

Formigas podem transmitir mais doenças que baratas

Gênero animal de maior êxito na história da Terra, as formigas compõem cerca de 15% de toda a biomassa animal terrestre. Em função disso, é muito comum encontrar esses insetos em diversos locais de nosso convívio: em casa, nas ruas, em parques, em estabelecimentos comerciais, entre outros.

É frequente, inclusive, encontrar formiga em alimentos. Quem nunca viu um pequeno inseto do tipo andar em biscoitos, pães e afins? Muitos tiram a formiguinha do local e continuam a comer tranquilamente.

Este hábito, porém, é perigoso para a nossa saúde. Um recente estudo feito em Campo Mourão (PR) e publicado pela Revista de Saúde e Biologia aponta que formigas podem carregar mais doenças do que baratas.

A pesquisa biológica fez uma busca por bactérias nas patas de formigas em ambientes hospitaliares. Sete tipos distintos de patógenos foram encontrados: Enterobacter sp, Acinetobacter sp, Streptococcus pneumoniae, Staphylococcus coagulase negativo (SCoN), Shigella sp, Serratia sp e Klebsiela sp.

Com isso, a relação entre formigas e problemas relacionados a tratamentos de doenças em hospitais, como irritações e rejeições, pode ser mais forte do que pensávamos.

Além disso, a formiga é vetor de doenças infecciosas. Gripe, tuberculose, verminoses, intoxicações alimentares e até hanseníase podem ser transmitidas pelo pequeno inseto.

Por que isso acontece?

A formiga pode transmitir doenças por ser móvel demais. Não parece fazer sentido, né? Mas faz.

Insetos desse tipo percorrem até três centímetros por segundo e não se cansam: podem caminhar, praticamente, o dia todo. Com isso, esses animais passam por diversos locais em um curto período de tempo.

Por serem animais muito móveis, as formigas também passam por diversos locais de higiene questionável, como recipientes com lixo, fezes e animais em decomposição. Dessa forma, organismos patogênicos ficam acumulados nas patas dos insetos.

Formigas vs. baratas

Não se trata de uma competição: formigas e baratas são igualmente perigosas para nós. Ambas podem transmitir doenças aos seres humanos quando há contato direto ou indireto com elas.

No entanto, quando se afirma que formigas podem ser mais perigosas que baratas, trata-se de uma questão relacionada à própria natureza: quando as baratas morrem, são as formigas que recolhem seus restos mortais.

Fonte: acrediteounao.com

mais em blog

Como plantar orgânicos em casa

A vida urbana é prática em muitos sentidos, mas traz alguns dilemas para quem quer ter uma vida mais saudável e comer alimentos naturais e orgânicos. Os mercados nem sempre têm essa opção ou oferecem produtos frescos e sem agrotóxicos a preços não muito acessíveis. Plantar em casa ou apartamento é uma alternativa, mas pode  faltar tempo ou mesmo espaço e luminosidade que as plantas requerem. Para aqueles que não conseguem adaptar suas rotinas e suas casas, a tecnologia é sempre uma grande aliada e nos surpreende com ótimas soluções para essa vida agitada.

Uma horta orgânica em ambientes pequenos é possível graças à ideia que três engenheiros brasileiros,  Bernardo Mattioda, George Haeffner e Thomas Kollman, tiveram na faculdade. Fundadores da Plantário, os amigos investiram em pesquisa e muito trabalho para o desenvolvimento de um eletrodoméstico que recria o ambiente natural propício para a produção de vegetais orgânicos em qualquer espaço fechado, em casa ou apartamento.

O equipamento funciona como uma estufa caseira, com sistema de irrigação, iluminação e temperatura automático. Com 45 cm de largura, 49 cm de profundidade e 69 cm de altura, ele pode ser instalado até mesmo em ambientes pequenos. A parte interna comporta 9 vasos para germinar diferentes tipos de sementes. Confira o vídeo: https://youtu.be/SsA0rOiJvgg

mais em blog

Saiba como se livrar de uma infestão de formigas

As formigas vivem em colônias e são divididas em castas, a casta das formigas rainhas, das formigas machos e das formigas fêmeas estéreis. Estas vão se diferenciar pelo tipo de alimento que lhes é fornecido durante toda a fase larval. Tal condição vai acabar por caracterizar as diferenças morfológicas de cada casta. Cada uma delas dura em torno de 15 anos, iniciando no momento em que uma formiga rainha cruza com um macho de casta diferente da sua e reproduz formigas obreiras e, terminando no momento em que a formiga rainha não consegue mais reproduzir.

As formigas são divididas em três tipos:

Formigas rainhas: possuem asas e podem reproduzir fêmeas. Vivem aproximadamente de quinze a vinte anos;

Formigas machos: possuem asas e vivem apenas algumas semanas com o único intuito de reproduzir;

Formigas fêmeas estéreis: são as formigas operárias ou obreiras, reproduzem machos sem a necessidade de serem  fertilizadas. Vivem aproximadamente um ano.

Trabalho

Obreiras: cuidam da rainha, dos ovos, das larvas e de pupas;

Cuidadoras da manutenção de ninhos: abrem e fecham as entradas dos ninhos, mantêm estruturas e passagens dentro da colônia;

Patrulheiras: designam os caminhos destinados para o forrageamento;

Forrageiras: seguem caminhos designados para elas, para acumular comida para a colônia;

Trabalhadoras de Meio-dia: manejam o lixo, chamado de meio-dia, e que parece ter uma significante relação a como as formigas acham sua colônia.

Atribuição de Tarefas

Não existe uma fonte de liderança, diferentemente de como muitas pessoas acreditam. A Rainha está lá apenas para reproduzir e não para controlar a colônia. Quando ocorrem alterações nas condições na colônia, a ênfase em certo trabalho se altera. Trabalhadores são movidos de uma tarefa para outra dependendo da necessidade. Quando se trata do forrageamento, ao ser o trabalho mais importante, vai ter prioridade ante qualquer outra tarefa.

Tempo de vida

Desde a etapa em que são ovos, até se tornarem adultas, as formigas demoram entre 6 a 10 semanas. Em geral as operárias podem viver alguns meses, com algumas espécies podendo viver aproximadamente 3 anos. As rainhas vivem mais do que as operárias, sendo que a maior longevidade foi registrada na espécie Pogonomyrmex owyheei, que atingiu uma idade de 30 anos. As formigas aparentemente vivem mais quando são alimentadas com o mel de rainha.

A alimentação das formigas dependerá da sua espécie: algumas são carnívoras, outras herbívoras, mas a maioria das formigas é onívora, ou seja, elas comem de tudo, animais, vegetais e restos de alimentos humanos.

PRINCIPAIS ESPÉCIES ENCONTRADAS NO BRASIL

Tapinoma melanocephalum (formiga-fantasma): São pequenas, com o corpo claro e a cabeça escura. Constroem seus ninhos perto ou dentro das residências, atrás de rodapés e batentes.

Paratrechina longicornis (formiga-louca): Sua cor varia indo de tons marrons escuros até o preto. Constroem seus ninhos perto ou dentro de residências, dentro das paredes e atrás de janelas e forros.

Monomorium pharaonis (formiga-do-faraó): Sua cor varia de tons amarelos até o marrom claro. Constroem seus ninhos em cavidades encontradas nas residências.

Pheidole megacephala (formiga-cabeçuda): Sua cor varia do vermelho até o marrom. Possuem uma cabeça muito grande em relação ao corpo. Constroem seus ninhos no solo, frestas de calçadas ou atrás de rodapés.

Wasmannia auropunctata (formiga-de-fogo ou pixixica): Possuem coloração marrom claro dourada. Constroem seus ninhos em guarda-roupas, camas, berços.

Lenipthema humile (formiga-argentina): Sua cor varia nos tons marrons. Constroem seus ninhos próximos a locais com água e alimento, como banheiros e cozinhas.

Camponotus sp. (formiga-carpinteira): Seu tamanho é variável e sua coloração atinge tons do amarelo ao preto. Constroem seus ninhos em batentes de janela e porta, além de assoalhos, podendo ainda habitar aparelhos eletrônicos.

Crematogaster sp. (formiga-acrobática): Sua coloração varia do amarelo ao marrom escuro. Constroem seus ninhos em qualquer estrutura de madeira.

Solenopis sp. (lava-pé): Sua cor varia do amarelo claro ao preto brilhante. Constroem seus ninhos exteriormente às residências, formando montes de terra, ou ainda, em aparelhos eletrônicos.

Transmissores de doenças

Por passarem por locais como o lixo, em que diversos agentes microbianos são encontrados, as formigas domésticas, através de suas patas e cerdas, podem ser veículos de inúmeros agentes causadores de doenças, ocasionando diarréias e vômitos caso os alimentos sejam contaminados por estes insetos.

Em hospitais, as formigas são um perigo em potencial. Nestes, elas podem se alimentar de restos de materiais infectados, assim como transmitir bactérias e material patológico para pessoas, instrumentos e alimentos que ocasionalmente são destinados aos pacientes. Sendo assim, podem causar infecções hospitalares.

Algumas espécies instalam-se em aparelhos domésticos eletrônicos, por eles apresentarem temperatura adequada para sobrevida e procriação, e liberam uma substância ácida que deteriora os aparelhos.

CONTROLE DE FORMIGAS

Não se deve utilizar inseticidas indiscriminadamente, pois apesar de algumas operárias morrerem no local, outras avisam a colônia, que rapidamente se distribuirá para diversos outros locais, formando novos ninhos.

Existem vários métodos para controle de formigas. Entre eles, destacam-se métodos mecânicos, quando se identifica e elimina-se mecanicamente o ninho; métodos culturais, que consistem na aração, em culturas de armadilhas e em resistência de plantas; métodos biológicos e naturais, ainda em aprimoramento; e métodos químicos.

Aplicação de químicos

Em relação aos métodos químicos, existem várias formas de se proceder, diferindo entre eles principalmente a formulação e o modo com que são aplicados. Os formicidas podem ser aplicados de diferentes modos: pós secos e concentrados emulsionáveis; gases liquefeitos; soluções nebulígenas e iscas granuladas. As iscas granuladas são de fácil aplicação, dispensando aparelhos e não apresentam perigos de intoxicação. Possuem um alto grau de eficiência.

A simples aplicação de inseticida pode ser ineficaz, pois ela abrangerá um efeito restrito apenas àquelas formigas que estão visíveis, isto é, aquelas que se encontram fora do formigueiro, representando aproximadamente apenas 5% da colônia, enquanto que as outras 95% estarão protegidas em seus ninhos.

Não é recomendado, porém, o uso de inseticidas repelentes colocados diretamente nos locais de trânsito das formigas ou nos seus ninhos. Eles podem disseminar ainda mais a infestação.

Aplicação de elementos naturais

Pimenta-do-reino, o alho e o cravo-da-índia servem para afastar traças e formigas.

Para preparar o alho é necessário para cada 900 mililitros de água fria, adicionam-se 100 gramas do tempero descascado. Passadas 48 horas, basta coar a solução e aplicar no ninho ou no local onde houver maior quantidade de formigas. A mesma proporção serve para soluções à base de cravo ou pimenta. Sachês com os temperos podem ser colocados na dispensa e na cozinha. Submeter ao congelamento peças infestadas por traças é outra forma de eliminá-las.

Erva Santa Maria: muito utilizada no interior, possui um composto químico excelente que afasta as formigas e também as pulgas”.

Talco: Pó de café, sal, talco ou casca de pepino também afastam as intrusas. Espalhe sobre a trilha

Alfazema: Coloque nas gavetas folhas de alfazema ou cânfora

Álcool: Casca de limão ou cravo embebido em álcool afastam as formigas

Borra de café: Para acabar com as formigas devoradoras de plantas, misture borra de café com um água. Regue duas vezes por semana

Cheiro: Borrife nos ambientes água com cravo-da-índia. Elas detestam o cheiro desse tempero

Guia rápido para eliminar as formigas de casa:

Faça uma mistura de açúcar com água. Corte pequenos pedaços de mais ou menos 4cm x 4cm de papel laminado e pingue uma gota da mistura em cada um, depois disso, distribua-os em diversos pontos da casa, preferencialmente próximos aos lugares onde as formigas aparecerem. Logo após um curto período de tempo já será possível observar que as formigas estarão formando uma grande fileira e se alimentando da mistura sobre o papel laminado

Encontre a origem da fileira de formigas formada e aplique, com o auxílio de uma seringa, uma mistura igualmente dividida de água e detergente.  Após o procedimento anterior, feche, com massa ou outro material ao alcance que seja isolante, o buraco onde foi injetado o detergente. Continue repetindo esses passos por diversos dias até que a população de formigas diminua.

Observações:

Quanto ao guia prático, se a fileira de formigas estiver saindo de uma tomada elétrica não utilize detergente, pois o resultado disso seria bem pior do que ter a praga instalada em sua casa. O correto nesse caso é usar talco de bebê, pois o talco entope as aberturas das formigas por onde elas respiram, além de reagir com o corpo da formiga.

Paciência

Muitas providências podem ser tomadas na busca do controle das formigas em casa, mas é importante lembrar que essas formigas não desaparecem da noite para o dia e o controle exige muita paciência e persistência, pois como essas formigas possuem muitas rainhas, elas apresentam um fenômeno conhecido como sociotomia, que é a divisão do formigueiro em vários outros quando existe algum tipo de perturbação ambiental.

Algumas medidas simples podem ser tomadas:

- Limpar bem os locais com restos de alimentos, principalmente doces;

- Vedar potes com alimentos;

- Colocar açúcar em potes hermeticamente fechados;

- Quando já houver formigas, proceder da seguinte maneira: seguir a trilha e tampar o orifício por onde elas entram e saem, principalmente, na junção de azulejos, batentes ou qualquer outra fresta;

- Se o formigueiro estiver na terra, devem se proteger pés e pernas e jogar água fervente. Também se deve cavar até achar os ovos (bolinhas brancas) e jogar água fervendo com sabão sobre elas;

- Esvazie e mantenha sempre a lixeixa limpa;

- Não jogue a sujeira da toalha de mesa no chão;

- Mantenha a pia seca e sem resíduo de alimentos;

- Use lixeira com tampa;

- Não use sacos de lixo rasgados.

- Mantenha o hábito de fechar frestas constantemente. As formigas podem se alojar em frestas muito pequenas ou podem simplesmente vir do jardim. Vasos com plantas também podem abrigar pequenas colônias.

- Não se esqueça que formigas preferem viver próximas a fontes de alimento. Se você tem o hábito de levar comida para o quarto, vai ter problemas lá também.

Fonte: www.f24.com.br

mais em blog

A importância de dedetizar sua casa para a saúde dos pets

As pragas – como carrapatos, baratas, formigas e outros insetos – podem trazer diversos problemas à sua casa. Para solucionar estas questões, a prevenção acaba sendo sempre a melhor opção. A dedetização é muito importante, seja em ambientes públicos ou privados, para eliminar esses agentes transmissores de doenças e impedir que eles continuem no ambiente.

Quem tem animal de estimação em casa, no entanto, costuma ficar apreensivo a respeito do que fazer neste momento, com medo que a dedetização prejudique os animais domésticos. No entanto ela é essencial para garantir também o bem-estar de seus pets, evitando que essas pragas entre em contato com eles e transmitam doenças.

Para garantir o bem-estar de todos, no entanto, é essencial que este serviço seja feito por uma pessoa especializada. Pois só uma empresa especializada, com funcionários treinados, saberá as medidas necessárias para garantir segurança e bem-estar para sua família e seus animais de estimação.

Evitando as pulgas de entrarem no seu ambiente

Muitas infestações de pulgas e carrapatos podem acontecer dentro da sua casa, acabando com a velha teoria de que apenas os cães e gatos que vão para a rua podem pegar essas pragas. Afinal, uma vez infestados, é possível que muitas pulgas estejam no interior das residências – em frestas no piso, rodapés, carpetes ou tapetes – em forma de ovos, apenas esperando eclodirem para recomeçarem a infestação.

Esses ovos podem permanecer em sua casa – ou em outros ambientes considerados protegidos onde cães e gatos vivem – durante até um ano; e normalmente no verão, quando o calor e umidade aumentam, esses ovos se transformam nas temidas pulgas adultas. Por isso é essencial cuidar também do ambiente, fazendo com que esses ovos sejam eliminados e não deem a oportunidade de um novo ciclo de infestação começar.

Os riscos

Especificamente as pulgas, podem oferecer diversos riscos aos seus animais. Seu pet pode receber até 400 picadas por dia, causando as coceiras, desconfortos e até mesmo a possibilidade de desenvolver outras doenças ainda mais perigosas para seu bicho de estimação e as outras pessoas da casa, como a peste bubônica.

Mas além disso, outros animais também podem oferecer riscos, como as baratas, formigas e ratos. Isto porque esses animais podem contaminar os alimentos, e até mesmo levar outras bactérias e vírus para dentro de sua casa.

Animais como cachorros e gatos podem ainda ter o instinto de caçadores, vendo nessas pragas urbanas um possível alvo. O contato direto com esses animais e seu provável consumo por parte dos animais de portes maiores deve ser vigiado de perto. Se o seu cão ou felino estiveram em contato com tais pragas, fique atento a qualquer mudança de comportamento e procure um veterinário o quanto antes.

mais em blog

12 dicas para prevenir e controlar carrapatos

Criar cachorro não é fácil. Há que se prover alimento, água, vacinas, vermífugo, banhos... enfim, criar cachorro definitivamente não é tarefa das mais simples. Mas talvez o maior desafio de quem tem um amigo peludo seja mesmo acabar com a famigerada praga dos carrapatos.

Eles são feios, sugam sangue e transmitem doenças e, amigo, acabar com eles exige um trabalho colossal. 

Antes de tudo, é preciso ter em mente que o controle dessa praga só é alcançado através de um conjunto de medidas. Não pense você que uma simples coleira contra carrapato vai acabar com a infestação de seu bichinho, porque não vai. A coleira com certeza vai ajudar, mas é preciso tomar outras atitudes:

1 - Regularmente procure por carrapatos em seu animal. Cate e jogue-os em um pote com querosene (o álcool nem sempre os mata, a não ser que você os incinere);

2 - Cuide de seus animais com repelente ou carrapaticida tópico. Existem vários disponíveis no mercado. A maioria consiste em um líquido aplicado no dorso do animal, na região da nuca;

3 - Se seu cão é adulto e saudável, utilize uma coleira com carrapaticida;

4 - Da mesma forma, se seu cão é adulto e saudável, banhos com carrapaticida aplicados preferencialmente por um profissional, serão de grande ajuda;

5 - Há remédios de uso oral que podem ajudar no controle; consulte o veterinário;

6 - Em propriedades grandes, criar algumas galinhas é uma forma de controle biológico, pois elas comem os carrapatos;

7 - No ambiente, faça sempre uma boa limpeza (com os produtos adequados) nos locais onde o animal costuma ficar. Se necessário, recorra a uma empresa de dedetização e cuidado com animais e crianças;

8 - Carrapatos costumam subir pelas paredes e procurar frestas e cantinhos onde possam se esconder. Poucos ficam ao nível do solo, então, use uma bombinha de aspersão para os locais mais altos;

9 - Quando aplicamos o inseticida, matamos os carrapatos jovens e adultos. Os ovinhos normalmente não são mortos pois são muito resistentes. Portanto, repita essa limpeza cerca de dez a doze dias depois; para matar os carrapatinhos que acabaram de eclodir;

10 - Sempre que usar um produto tóxico, leia a bula e siga rigorosamente as instruções de segurança;

11 - Se você tiver um lança-chamas e não for do tipo psicopata, pode usá-lo para fazer a limpeza. Esse recurso é o que usamos nas clínicas / hospitais e mata inclusive os ovos do carrapato;

12 - E atenção: não existe vacina contra esse mal. O que popularmente se chama de “vacina do carrapato” é um produto usado em certas dermatopatias específicas. O uso indiscriminado dele pode inclusive destruir células do fígado do animal.

Por Max Moura, médico veterinário.

Fonte: http://bichinhosprecisamdelar.blogspot.com.br/

mais em blog

10 curiosidades sobre as baratas

Que elas são inconvenientes e asquerosas, isso todo mundo sabe, mas existem mais curiosidades sobre o mundo dessas pragas urbanas. Confira 10 fatos sobre as baratas que você provavelmente não sabia:

1 – Segundo especialistas, as baratas são tão antigas quanto os dinossauros. Registros afirmam que o fóssil mais antigo de barata é de 200 milhões de anos.

2 – Uma única barata é capaz de gerar mais de 800 novas baratinhas.

3 – Este pequeno inseto pode transmitir cerca de 32 doenças via bactérias, 17 por fungos e 2 por vírus. Entre as doenças mais comuns, estão cólera, peste, febre tifoide, herpes, poliomielite e conjuntivite.

4 – A antena da barata é seu grande diferencial: é por ela que a barata sente gostos, cheiros e toques.

5 – O poder de regeneração do corpo da barata é incrível: ela pode sobreviver por vários dias sem a cabeça e, se perder uma das patas, ela consegue se regenerar em poucos dias.

6 – Baratas conseguem correr tanto, mas tanto, que, se tivessem o tamanho de um ser humano, seriam capazes de atingir a velocidade de 320 km/h em poucos instantes.

7 – Os únicos lugares com probabilidade zero de encontrarmos baratas são nos Polos Norte e Sul, devido ao frio excessivo. Baratas gostam mesmo é de calor!

8 – As baratas vivem, em média, entre 5 e 6 meses.

9 – Poucos animais conseguem sobreviver tanto sem água quanto a barata, que vive por meses sem beber uma gota de água.

10 – Baratas não dormem durante o dia, elas apenas se recolhem. Dica: se você costuma encontrar baratas andando pela casa durante o dia, é sinal de que o local está infestado delas.

Fonte: http://www.megacurioso.com.br/

mais em notícias

10 aspectos para analisar antes de terceirizar

Para uma empresa, a decisão de contratar um fornecedor de serviços de terceirização envolve algumas questões de gestão interna, uma vez que interfere diretamente no modelo de trabalho implantado.

É preciso, antes de tudo, verificar o que é melhor para o negócio, se abrir um processo de recrutamento e seleção para contratar, formar a equipe, capacitá-la e administrar diretamente os profissionais ou buscar no mercado empresas especializadas em terceirização.

A terceirização, atualmente, envolve diversas atividades profissionais, o que exige uma análise bastante aprofundada dos prós e contras para que a empresa tome uma decisão. Assim, com o objetivo de manter um bom relacionamento com a empresa contratada para terceirização, a contratante deve exigir a apresentação dos documentos que comprovem a regularidade de sua situação:

1- Certidões Negativas de Débitos

A empresa de terceirização deve estar em dia com a Previdência Social, com o FTGS e com os órgãos fiscalizadores e tributários. A apresentação das certidões negativas de débitos deve estar dentro do prazo de validade.

2- Cartas de recomendações técnicas de outros clientes

Cartas de recomendações técnicas de outros clientes são documentos importantes para certificar a empresa de terceirização contratada, atestando sua qualificação para a atividade.

3- Qualificação dos empregados contratados

Diante da necessidade de manutenção da qualidade dos serviços, a empresa de terceirização deve comprovar a qualificação de seus contratados, dentro dos requisitos exigidos para cada função.

4- Qualificação dos representantes da empresa

Os representantes da empresa de terceirização, dentro de suas respectivas funções, devem apresentar documentação que comprove sua capacidade técnica, como a exemplo de engenheiros e supervisores das áreas objeto da terceirização.

5- Ficha de registro dos empregados terceirizados

Para evitar problemas com a legislação trabalhista e, principalmente, com a área de segurança do trabalho, todos os empregados contratados pela empresa de terceirização devem estar com seus registros em ordem e essa documentação deve ser apresentada à contratante sempre que um novo empregado for admitido para qualquer função terceirizada.

6- Recibos de pagamentos de salários

Mensalmente, a empresa de terceirização tem por obrigação comprovar o pagamento dos salários de seus empregados através de cópias dos recibos de pagamento ou de depósito bancário.

7- Cartões de ponto

Juntamente com a fatura mensal, a empresa de terceirização deve apresentar o registro de ponto de seus empregados, sendo este a comprovação da prestação de serviços para a cobrança da fatura.

8- Comprovante de fornecimento do vale transporte

Atendendo à legislação trabalhista, o fornecimento de vale transporte é obrigatório para todo empregado optante. Esta opção é feita pelo empregado no momento de sua contratação, devendo ser apresentada à empresa contratante, assim como o fornecimento mensal aos empregados optantes, juntamente com a folha de pagamento.

9- Comprovante de recolhimento de contribuições previdenciárias

O recolhimento de FGTS e de INSS, de obrigação da empresa de terceirização, deve ser comprovado mensalmente junto à contratante, uma vez que esta é solidária em questões trabalhistas e a falta de recolhimento poderá torna-la responsável pelo tributo.

10- Recibo de férias

Na oportunidade de concessão de férias, a empresa contratante deverá ser avisada da substituição do funcionário que estiver gozando do benefício, devendo a empresa de terceirização apresentar o comprovante de pagamento dentro do prazo previsto pela legislação.

Fonte: http://www.ohub.com.br/

mais em notícias

5 dicas para contratar a terceirização de limpeza

Contratar a terceirização de limpeza é uma estratégia de negócio para uma organização que quer focar na principal atividade que desenvolve, otimizar processos, reduzir custos e, assim, tornar-se mais competitiva no mercado. Como bem sabemos, os serviços de limpeza são essenciais em qualquer local de trabalho e também de moradia, já que dão suporte básico para a execução de várias tarefas. Logo, quando for pensar em contratar uma empresa terceirizada para realizar a limpeza de seu negócio ou do condomínio onde mora, você deve levar em conta alguns fatores para assegurar um serviço de qualidade. Veja a seguir, dicas para fazer uma boa contratação.

1. Identifique a demanda

Antes de fazer a terceirização de limpeza, procure analisar o que a empresa ou o condomínio onde reside precisa nessa área. Por exemplo, se necessitará de limpeza somente da área interna, como salas e banheiros, ou também da área externa, como pátios e estacionamentos. Uma dica importante é fazer uma relação de todos os serviços demandados. Dessa forma, com o maior número de especificações técnicas possível, fica mais fácil pedir um orçamento, já que a prestadora de serviços terá condições de passar um valor mais próximo da realidade.

2. Faça um orçamento

Depois de saber o que realmente a sua empresa ou condomínio precisa, é hora de receber propostas de interessados em realizar os serviços. Como você já deve ter tarefas suficientes na gestão do seu negócio ou não quer mesmo perder tempo com isso, o ideal é encurtar o processo de busca de uma empresa terceirizada. Para tanto, uma dica eficiente é fazer o pedido de orçamento por meio de uma plataforma própria para essa atividade, que permita fazer a ponte entre você e a prestadora de serviços. Assim, você economizará tempo e dinheiro, já que receberá propostas de quem realmente pode cumprir os requisitos que você elencar.

3. Escolher a terceirizada

Após receber os orçamentos solicitados, você deve analisá-los cuidadosamente a fim de fazer a escolha certa. Para contratar, além do critério preço, avalie outros fatores como o tempo da prestadora de serviços no mercado, estrutura para suprir à demanda, capacidade de fazer um atendimento personalizado – caso o local para a limpeza possua necessidades específicas -, etc. Procure ainda ouvir depoimentos de outros clientes da pretadora, de preferência, para saber realmente o nível de satisfação quanto ao serviço. Busque ter uma avaliação espontânea de algum colega empresário que tenha contratado a mesma prestadora ou de alguém que more em local onde a limpeza é feita pela firma analisada.

4. Mantenha a unidade

Lembre-se de que, ao fazer a terceirização de limpeza, você delegará um setor de sua própria empresa para uma prestadora de serviços. De alguma forma, solicite à terceirizada um perfil de colaborador que se encaixe na cultura organizacional da sua própria empresa e que possa assumir os valores por ela defendidos. Afinal, para o público externo e, principalmente, para os seus clientes, a empresa é uma só e assim deve se apresentar. Uma vantagem, nesse sentido, é que você não precisará gastar com recrutamento e seleção de funcionários.

Fonte: www.ohub.com.br

mais em blog

Aprenda a fazer sachês anti-traças para armários

O inverno se aproxima e o frio já chegou a muitas regiões do país. Nessa época em que retiramos as roupas de frio para nos aquecer, pode ser que nos deparemos com o guarda-roupa com aquele cheiro forte de “guardado” ou, até mesmo, mofo e traças. Para solucionar esse problema, vamos dar algumas dicas:

Como tirar cheiro do guarda-roupa:

Faça uma limpeza 1 vez por mês com vinagre de álcool branco, aplique em um pano e passe por todo o guarda-roupa, deixando evaporar com as portas abertas.

Para situações mais acentuadas:

1 - Tire todas as roupas do armário, ferva 1 litro de vinagre de álcool e coloque a vasilha dentro do armário, feche as portas e mantenha-as assim por 1 hora;

2 - Depois passe um pano umedecido com o vinagre em todas as partes do armário: portas, prateleiras, gavetas, etc.;

3 - Deixe arejar e secar por 2 horas;

4 - O mesmo vinagre pode ser fervido por até 5 vezes sem perder eficiência.

Obs: O cheiro do vinagre sai no dia seguinte. O cheiro não passa para as roupas.

 Sachês anti-traças

Como fazer:

1 - Utilize um pano fino, como aquele tecido de tela de mosquiteiro, organza, filó, etc. O objetivo é que o cheiro não fique abafado e possa exalar seu aroma;

2- Um cordão para amarrar cada sachê, pode ser barbante;

3- Para finalizar pegue um punhado dos ingredientes citados abaixo, coloque no centro do tecido escolhido, junte as pontas e amarre;

4 - Coloque os sachês aromáticos dentro do armário, guarda-roupa e gavetas.

Ingredientes para os Sachês:

Cravo-Da-Índia

Pau de Canela

Erva Cidreira

Capim Limão

Folhas de Louro

Obs: As folhas podem ser colhidas e utilizadas verdes nos sachês.

Fonte: lar-natural.com.br

mais em blog

Faça compostagem e transforme lixo em adubo!

Diminua a sua produção de lixo doméstico! Em geral a separação do lixo aparece vinculada apenas à reciclagem de materiais como embalagens plásticas e papelão, mas e o que acontece aos resíduos orgânicos, eles não são poluentes? Claro que sim, quando decompostos de forma inadequada poluem o ar, a terra e as águas.

Cerca de 80% de tudo que é jogado no lixo, em tese, poderia ser reaproveitado. Então,separe o lixo, encaminhe uma parte para a reciclagem, outra parte do orgânico transforme em adubo e veja a sua lixeira mais vazia e a sua casa mais ecológica!

 O que é compostagem

A compostagem é um processo que transforma resíduos orgânicos em húmus, um excelente adubo para as suas plantas, inclusive para a sua pequena horta de temperos ou seu jardim vertical. Para quem vive em centros urbanos, mesmo em apartamentos pequenos, existem várias opções de modelo e tamanho de composteiros, um “recipiente” para depositar os resíduos orgânicos e acelerar a transformação deste material em adubo, propiciando um ambiente adequado para a ação dos micro-organismos e das minhocas.

O composteiro

Você pode fabricar ou adquirir um modelo no mercado, existem vários sites que ensinam como fazer e fornecem kits para compostagem(incluindo terra, serragem, minhoca, apostila detalhada mostrando o passo a passo do processo). Você encontra boas opções de composteiros e dicas em www.minhocasa.com e www.moradadafloresta.org.br. Dependendo do modelo e do material depositado, o húmus fica pronto de 60 a 120 dias, aí é só aproveitar e deixar o seu jardim ainda mais verde!

O que pode ser colocado no composteiro

Devem ser depositados terra, serragem e resíduos orgânicos como grama, folhas de árvores, restos de verduras e frutas, borra de café, saquinho de chá, restos de comida, etc. sempre em pedaços bem pequenos. O ideal é depositar três vezes mais material rico em carbono do que em nitrogênio, isto é: mais capim, folha e grama do que restos de comida. Evite colocar dejeto de animais.

 Tem cheiro ou atrai animais?

Desde que bem administrado, o composteiro fica livre de qualquer odor, procure evitar depositar material excessivamente úmido. Caso o seu modelo de composteiro não venha com tela protetora, feche todas as suas passagens com uma tela de arame ou de mosqueteiro com uma trama bem fechada para evitar a entrada de moscas e a saída de minhocas.

lar-natural.com.br

mais em blog

O que são traças? Por que aparecem? Como acabar com elas?

As traças podem ser consideradas importantes pragas em áreas urbanas, pois infestam roupas, papéis, tapeçarias, estofados, livros, frutas secas, grãos ou outros alimentos armazenados. Na área urbana identificam-se três grupos distintos, reunidos em duas ordens: o grupo formado pelas traças dos livros ou traças-prateadas, o grupo formado pelas traças das roupas e as traças de produtos armazenados. As traças procuram alimento e abrigo, gostam de lugares úmidos e com acúmulo de roupas, livros, cadernos, comidas e objetos de modo geral sem uso.

Existe também um tipo de traça que ataca as roupas e a única forma de se prevenir é manter a casa sempre limpa.

- Nunca deixe suas roupas e tapetes empilhados, principalmente em locais escuros, por muito tempo. Retire-os de tempos em tempos para serem lavados ou tomarem um banho de sol.

- Lave as roupas que estão guardadas por algum tempo e passe com ferro quente.

- Nunca guarde roupas sujas, com manchas de comida, isso pode atrair insetos além do mau cheiro.

- Para manter suas roupas protegidas das traças, principalmente roupas finas, o primeiro passo é manter seu armário limpo e organizado.

- Use o aspirador regularmente nos armários. Elimine a sujeira aspirada do saco do aspirador imediatamente – eles podem conter ovos e larvas de traças e outros tipos de insetos.

- Tire tudo dos armários e gavetas  e passe um pano úmido utilize a solução de 1 litro de água e 2 colheres de vinagre branco, espere secar para guardar as roupas.

- Faça uma limpeza geral a cada 6 meses e utilize sachês de cedro, ou saches com aroma de lavanda.

- Coloque dentro dos armários e closets saquinhos de cravo da índia, ou aroma de madeira estes são um repelente eficaz contra traças e outros insetos.

- Retire a poeira dos cabides, capas, bolsas, acessórios, colmeias, caixas organizadores  e etc. - - Antes de devolvê-los ao armário;

- Limpe os calçados antes de colocá-los nos armários.

As traças têm hábitos noturnos, gostam de pó, escondem-se em prateleira de livros, closet, despensas, armários, enfim... Onde há bagunça, sujeira e umidade. Procure evitar a entrada de matérias que possa ter vindo de locais com históricos de infestação por traças, como caixa de papelão de transportadoras e supermercados. Limpe frequentemente seus livros e outros materiais que ficam estocados por muito tempo, para evitar que eles passem a ser o banquete das traças.

O que fazer em acervos de livros para as traças não aparecerem?

A melhor maneira é manter os livros em lugares ventilados e não muito escuros. Fazer limpezas frequentes, removendo as traças.

Qual ambiente é mais propicio para a proliferação de traças?

Ambientes fechados, escuros, com pouca ventilação e sujos.

O clico de vida da traça:

Normalmente, uma geração por ano.

Hábitos:

A larva pode percorrer distâncias consideráveis antes de passar a fase de crisálida. Geralmente encarado como um inseto voador que se alimenta de matéria orgânica.

Em resumo:

Para não ter as traças como hóspedes de seu closet (guarda-roupas) e não oferecer um banquete a elas, faça um desapego já! Retire tudo que não for roupa do seu closet (guarda-roupas) e só mantenha as roupas que você está usando. Roupas paradas, sem uso, deixam de ser roupas e passam a ser alimento para as traças.

Fonte: http://www.emcasa-rs.com.br/

mais em blog

Como acelerar o crescimento de hortaliças

O uso de adubos como fonte de nutrientes é essencial para o bom crescimento e desenvolvimento de hortaliças. Os principais são os nitrogenados e os potássicos. No entanto, deve-se ter atenção quanto à aplicação de quantidades adequadas de cada produto. Para saber a medida certa, realize, inicialmente, a análise do solo e, de posse do laudo, procure assistência técnica qualificada para mais orientações. A adubação em excesso pode induzir a ocorrência de efeitos contrários do objetivo de seu uso, causando toxidez e até morte da planta. Uma parte dos adubos deve ser incorporada ao solo antes do plantio das sementes, ou do transplante das mudas. Outra, deve ser adicionada como cobertura em duas ou três aplicações, dependendo da cultura. Não é indicado acelerar o desenvolvimento de certas hortaliças, pois o processo pode deixar a planta suscetível ao tombamento, ou mais propícia ao ataque de pragas e/ou doenças, acarretando em prejuízo econômico.

Fonte: Revista Globo Rural 

mais em blog

3 flores cheirosas para perfumar a casa

Manter a casa com um odor agradável é um fator essencial para construir um espaço aconchegante e agradável. Para quem possui animais de estimação ou passa muito tempo fora e deixa o ambiente fechado, deixar a casa com cheiro bom pode ser um desafio. A boa notícia é que existem algumas flores que podem ser cultivadas em vasos e são donas de aromas naturais agradáveis.

Manacá-de-cheiro

Nativa das florestas tropicais brasileiras, o arbusto dessa flor pode chegar a até 3 metros de altura. Relativamente fácil de ser cultivada em casa, essa planta exige iluminação solar constante para crescer e é dona de um aroma doce e marcante.

Camélia

Com flores delicadas e folhagem brilhante, a camélia possui um aroma mais sutil. Para que cresçam, é necessário que sejam cultivadas em locais com temperaturas mais amenas, sem incidência direta do sol durante o dia todo.

Dama-da-noite

Dona de um aroma bastante acentuado e doce, a dama-da-noite floresce na primavera e no verão e libera seu perfume principalmente à noite. Vale lembrar que o perfume forte dessa planta pode causar reações alérgicas em pessoas mais sensíveis.

Fonte: Vix.com

mais em blog

6 animais amigos da horta

Quem tem um quintal grande e espaçoso em casa, com boa parte de terra, jardins e hortas, sabe também que terá a visita constante de alguns bichinhos, como insetos, percevejos ou joaninhas.

Muitas pessoas saem correndo para matá-los, pensando que esses animais podem ser prejudiciais. Alguns, claro, são, mas em compensação tem muitos que são extremamente benéficos para a produção agrícola caseira. Manter um certo nível desses bichinhos na horta é fundamental.

No entanto, para que a horta seja bem sucedida, é preciso que o hortelão saiba fazer o controle biológico. Alguns bichinhos fazem tão bem para a produção de alimentos que substituem os agrotóxicos, pois combatem seus inimigos naturais (pragas) que atacam os alimentos.

- Abelha

Uma colmeia não é apenas importante para a produção de mel. As abelhas são extremamente eficazes no processo de polinização, essencial das algumas plantas. Sua importância é tão grande, que alguns apicultores alugam suas criações para agricultores polinizarem suas plantações.

A presença de abelhas indica que há diversidade e que as flores vão se multiplicar. Não as extermine. Agora, se o enxame for muito grande, chame o corpo de bombeiros para uma orientação mais adequada.

- Joaninha

A joaninha é uma das principais responsáveis pelo controle biológico de afídeos, os famosos pulgões, que se alimentam da seiva das plantas e causam estragos nas hortas. Além disso, sua dieta também inclui larvas, ácaros e pequenas lagartas prejudiciais às plantas e aos seres humanos.

Uma joaninha é capaz de devorar 200 pulgões em um dia.

- Aranha

Principais predadoras, as aranhas comem mais pestes e insetos prejudiciais que todos os outros bichos juntos. Portanto, pense duas vezes antes de pisar naquela pequena aranhazinha que resolveu dar uma voltinha em sua plantação.

Claro, tome o maior cuidado quando estiver por perto: as aranhas, para se defender, podem atacar o homem também. 

- Minhoca

Um dos principais fatores de sucesso de uma boa horta, a minhoca cava túneis e buracos que, além de arejar o solo para que as plantas “respirem” melhor, escoa a água da chuva e de irrigação.

A minhoca também despeja suas fezes no solo e colabora na produção do húmus, matéria orgânica que inclui fezes e decomposição de animais e restos orgânicos de plantas. O húmus é essencial para o enriquecimento e fortalecimento do solo.

- Percevejo 

Junto com os escaravelhos, os percevejos constituem o “exército dos mais temidos” das hortas. As pequenas pestes, como pulgões e formigas que se alimentam do caule e das plantas, tendem a fugir do habitat de percevejos. As que ficam são devoradas por eles, que ajudam a manter o controle biológico da horta.

- Libélula

Conhecida como a ave rapina dos insetos, a libélula está no topo da cadeia alimentar dos insetos, mantendo importante controle sobre pragas e animais indesejados ou prejudiciais.

Segundo biólogos, elas comem sem parar e, apesar da aparência frágil, são capazes de consumir até 30 moscas em um dia. 

É importante que sua horta não esteja localizada em lugares onde habitam grandes predadores da libélula, como grandes aranhas, rãs e sapos.

Fonte: Globo Rural 

mais em blog

Importância de fazer a limpeza da caixa d'água

- O recomendado é que a limpeza das caixas d’água seja feita de seis em seis meses

Para se ter esse controle, é importante que após a manutenção, seja escrito a data em que o serviço foi feito do lado de fora do reservatório. Será mais fácil de relembrar e para a próxima limpeza.

A caixa d’água precisa ser limpa regularmente para evitar a concentração de sujeira e também a proliferação de algas, bactérias, fungos. O local que alguns sedimentos e a maioria das impurezas se depositam é na parte inferior da caixa.

Se a caixa não estiver bem higienizada, agentes patológicos podem transmitir doenças para os seres humanos que consumirem a água.

- Dengue, leptospirose, diarreias e hepatite A são apenas algumas das enfermidades causadas por uma caixa d’água má vedada ou contaminada.

Dependendo da situação da caixa, baratas, ratos e morcegos também podem usar o local como abrigo e prejudicar o consumo dessa água, pois depositarão lá suas fezes, podendo transmitir doenças sérias.

Tampe bem sua caixa de água!

Por questão de saúde pública, as caixas d’água devem estar bem tampadas para que não haja surto de dengue, que inclusive, pode ser mortal.

- O verão é a estação do ano em que o mosquito da dengue procura água limpa e parada para se reproduzir.

A tampa das caixas é essencial para garantir a qualidade da água, especialmente para que ela não se misture com a chuva. Caso a peça original quebre ou trinque por algum motivo, é possível comprar apenas a tampa em lojas de material de construção.

Na hora de comprar uma tampa para sua caixa d’água, meça a largura dela e, de preferência, compre da mesma marca da caixa d’água original. Assim, ela encaixará perfeitamente e sua água não correrá risco de ser contaminada por animais, insetos ou pela água da chuva, que muitas vezes parece limpa, mas que contém diversos poluentes (chamada de chuva ácida), principalmente em grandes cidades, como são Paulo e Rio de Janeiro.

Fonte: http://www.limpezadecaixadagua-sp.com.br/

mais em blog

Pragas: salve suas plantas!

A maior parte das pragas atacam geralmente na primavera, período de fertilidade e de grande atividade na natureza. Elas causam vários estragos nas plantas, além de favorecer o surgimento de doenças, principalmente fúngicas. As pragas geralmente se tornam um problema mais sério quando há um desequilíbrio ecológico no sistema onde a planta está inserida. Outras situações que podem favorecer o seu surgimento são desequilíbrios térmicos, excesso ou escassez de água e insolação inadequada. Por isso, preparamos um guia rápido para facilitar o reconhecimento das principais pragas e sugerimos algumas dicas naturais de controle:

Pulgões: Podem ser pretos, marrons, cinzas e até verdes. Alojam-se nas folhas mais tenras, brotos e caules, sugando a seiva e deixando as folhas amareladas e enrugadas. Em grande quantidade podem debilitar demais a planta e até transmitir doenças perigosas. Os pulgões costumam atacar, principalmente, as plantas de hastes e folhas macias. Podem aparecer em qualquer época do ano, mas os períodos mais propícios são a primavera, o verão e o início do outono. Precisam ser controlados logo que notados, pois multiplicam-se com rapidez.

Dicas: 

- As joaninhas são suas predadoras naturais;

- Um chumaço de algodão embebido em uma mistura de água e álcool em partes iguais ajuda a retirar os pulgões das folhas e isso pode ser feito semanalmente;

- Aplique Calda de Fumo ou Macerado de Urtiga;

Cochonilhas: São insetos minúsculos, geralmente marrons ou amarelos, que alojam-se principalmente na parte inferior das folhas e nas fendas. Além de sugar a seiva da planta, as cochonilhas liberam uma substância pegajosa que facilita o ataque de fungos, em especial, o fungo fuliginoso. Dá para perceber sua presença quando as folhas apresentam uma crosta com consistência de cera. Algumas cochonilhas apresentam uma espécie de carapaça dura, que impede a ação de inseticidas em spray. Neste caso, produtos à base de óleo costumam dar melhores resultados, pois formam uma "capa" sobre a carapaça, impedindo a respiração do inseto. A calda de fumo costuma dar bons resultados também.

Dicas: 

- As joaninhas também são suas predadoras naturais, além de certos tipos de vespas;

- A Calda de Fumo e a Emulsão de Óleo são os métodos naturais mais eficientes para combatê-las;

- Deve-se evitar o controle químico mas, quando necessário em casos extremos, normalmente são usados óleo mineral e inseticida organofosforado.

Moscas-brancas: São insetos pequenos e, como diz o nome, de coloração branca. Não é difícil a notar a sua presença - ao esbarrar numa planta infestada por moscas brancas, dá para ver uma pequena revoada de minúsculos insetos brancos. Costumam localizar-se na parte inferior das folhas, onde liberam um líquido pegajoso que deixa a folhagem viscosa e favorece o ataque de fungos. Alimentam-se da seiva da planta. As larvas deste inseto, praticamente imperceptíveis, também alojam-se na parte inferior das folhas e, em pouco tempo, causam grande infestação.

Dica:

- É difícil eliminá-las, por isso muitas vezes é preciso aplicar insetidas específicos para plantas.

- Quando o ataque é pequeno, o uso de plantas repelentes - como tagetes ou cravo-de-defunto (Tagetes sp.), hortelã (Mentha), calêndula (Calendula officinalis), arruda (Ruta graveolens) - costuma dar bons resultados.

Lesmas e caracóis: Normalmente atacam à noite, furando e devorando folhas, caules e botões florais, mas também podem atingir as raízes subterrâneas. 

Dicas:

- Besouros e passarinhos são seus predadores naturais;

- Uma boa forma de eliminá-los é usar armadilhas, feitas com “isca de cerveja” para atraí-los. Faça assim: tire a tampa de uma lata de azeite e enterre-a deixando a abertura no nível do solo. Coloque dentro um pouco de cerveja misturada com sal. As lesmas e os caracóis caem na lata atraídas pela cerveja e morrem desidratados pelo sal.

Lagartas: Costumam atacar mais as plantas de jardim mas, em alguns casos, também podem danificar as plantas de interior. Fáceis de serem reconhecidas, as lagartas costumam enrolar-se nas folhas jovens e literalmente comem brotos, hastes e folhas novas, formando uma espécie de "teia" para proteger-se. Todas as plantas que apresentam folhas macias estão sujeitas ao seu ataque. As chamadas “taturanas” são lagartas com pêlos e algumas espécies podem queimar a pele de quem as toca.

Dicas:

- Caso não apresente um ataque maciço (quando é indicada a aplicação um lagarticida biológico, facilmente encontrado no mercado), o controle das lagartas deve ser manual, ou seja, devem ser retiradas e destruídas uma a uma, lembrando que é importante usar uma proteção para a que a lagarta não toque na pele;

- A Calda de Angico ajuda a afastar as lagartas e não prejudica a planta; 

- O uso de plantas repelentes, como a arruda, pode ajudar a mantê-las afastadas;

- Aves e pequenas vespas são suas “inimigas” naturais;

Precisamos lembrar que sem as lagartas, não teríamos as borboletas. Ao eliminá-las completamente, estamos nos privando da beleza e da graça desses belos seres alados. Mais uma vez, o equilíbrio é a chave.

Ácaros: O tipo de ácaro mais comum é conhecido como ácaro-vermelho (veja foto), tem a aparência de uma aranha de cor avermelhada. Ataca flores, folhas e brotos, deixando marcas semelhantes à ferrugem. O ataque de ácaros diminui o ritmo de crescimento, favorece a má formação de brotos e, em caso de grande infestação, pode matar a planta. Ambientes quentes e secos favorecem o desenvolvimento dessa praga. Apesar de quase "invisíveis" a olho nu, sua presença é denunciada pelo aparecimento de uma teia fina. 

Dicas:

- Costuma atacar mais as plantas envasadas do que as que estão em canteiros;

- Uma boa dica é borrifar a planta com água, regularmente, já que este inseto não gosta de umidade. Casos mais severos exigem que as partes bem atacadas sejam retiradas;

- A Calda de Fumo ajuda a controlar o ataque.

Percevejos: São mais conhecidos como “marias-fedidas”, pois exalam um odor desagradável quando se sentem ameaçados. Seu ataque costuma provocar a queda de flores, folhas e frutos, prejudicando novas brotações.

Dicas:

- Vespas são suas predadoras naturais;

- Devem ser removidos manualmente, um a um;

- Se o controle manual não surtir efeito, a Calda de Fumo pode funcionar como um repelente natural.

Tatuzinhos: Muito comuns nos jardins com umidade excessiva, são também conhecidos como “tatus-bolinha”, pois se enrolam como uma bolinha quando são tocados. Vivem escondidos e alimentam-se de folhas, caules e brotos tenros, além de transmitir doenças às plantas. 

Dicas:

- Evitar a umidade excessiva em vasos e canteiros;

- Devem ser retirados manualmente e eliminados um a um;

Nematóides: São “parentes” das lombrigas e atacam pelo solo. As plantas afetadas apresentam raízes grossas e cheias de fendas. Num ataque intenso, provocam a morte do sistema radicular e, conseqüentemente, da planta. Algumas plantas dão sinais em sua parte aérea, mostrando sintomas do ataque de nematóides: as dálias, por exemplo, podem apresentar áreas mortas, de coloração marrom, nas folhas mais velhas.

Dica:

- O melhor repelente natural é o plantio de tagetes (o popular cravo-de-defunto) na área infestada;

- Se o controle ficar difícil, é indicado eliminar a planta infestada do jardim, para evitar a proliferação.

Formigas: As cortadeiras são as que mais causam estragos. Elas cortam as folhas para levá-las ao formigueiro, onde servem de nutrição para os fungos, os verdadeiros alimentos das formigas.

Dicas:

- Um bom método natural para espantar as formigas e espalhar sementes de gergelim em torno dos canteiros. Além disso, o gergelim colocado sobre o formigueiro, intoxica o tal fungo e ajuda a eliminar o “ninho” das formigas;

- Em ataques maciços, recomenda-se o uso de iscas formicidas, à venda em casas especializadas em produtos para jardinagem. As formigas carregam a isca fatal para o formigueiro.

Plantas repelentes

Algumas plantas ajudam a manter as pragas afastadas dos canteiros. Alguns exemplos:

- Tagetes ou cravo-de-defunto (Tagetes sp.), hortelã (Mentha), calêndula (Calendula officinalis), arruda (Ruta graveolens).

Fonte: Jardim de Flores

mais em blog

Estação das chuvas pede cuidado extra com os ratos

 Em tempos de enchente, eles viam notícia. Os ratos são famosos pelo terror que causam e pela quantidade de doenças que transmitem, como leptospirose e peste bubônica. 

Mas, como manter esse perigo longe enquanto a estação das chuvas não vai embora? Quais são as doenças que podem realmente transmitidas por eles? E quais são os sintomas? 

Para desmistificar essas e outras dúvidas, conversamos com o infectologista José Ricardo Wilmers, da Sociedade Brasileira de Infectologia. "Todo cuidado é pouco, as doenças transmitidas pelos ratos podem, inclusive, levar a morte", afirma o médico.

1) O contato com o rato não transmite leptospirose. 

Verdade. A doença é transmitida apenas pela urina do rato, e não pelo animal em si. Por isso, é preciso higienizar bem a casa após qualquer alagamento e evitar o acúmulo de lixo. A leptospirose causa uma infecção sistêmica (em todo corpo), que geralmente leva a sangramentos, insuficiência renal e, em alguns casos, até mesmo à morte.

2) A mordida do rato causa uma ferida que some sozinha.

Verdade. A cicatrização da ferida acontece rapidamente, mesmo sem tratamento. O problema é que mesmo os roedores sadios hospedam, na garganta, bactérias que causam uma forte infecção. 

Dez dias depois da cicatrização, é comum aparecerem sintomas como febre, diarréia, dores pelo corpo e vômito. Diante de uma mordida, lave bem o local com água e sabão e procure ajuda médica imediatamente.

3) Locais sujos e com resto de comidas atraem ratos. 

Verdade. Quanto mais lixo, maior a chance da população de ratos aumentar. Armazéns abandonados, locais de depósito de lixo, proximidade de esgotos são ambientes propícios para o aparecimento dos roedores, que procuram a superfície quando esses locais são alagados.

4) Os ratos só frequentam os quintais e não fazem ninho dentro de casa. 

Mentira. Os ratos facilmente entram em casas, principalmente se restos de comidas estiverem presentes no ambiente, já que estão sempre em busca de alimentos. Eles podem entrar através de frestas, janelas e portas. 

5) Só a urina do animal que transmite doença. 

Mentira. Além da urina, a pulga do rato pode trazer prejuízos para saúde. Ela é transmissora da Yersinia pestis, bactéria causadora da Peste Bubônica, doença que causa tremedeiras, delírios e dores por todo o corpo. O tratamento é feito com antibióticos. 

6) Em época de chuvas fortes, é mais comum o aparecimento desses animais. 

Verdade. Quando há o enchimento das galerias de esgoto, os ratos precisam procurar alimentos e abrigos e, normalmente, encontram dentro da casas.

7) Os ratos não deixam sinais por onde passam. 

Mentira. É possível perceber quando um rato passou por determinado ambiente. Alguns dos sinais são fezes, roeduras e até pequenas tocas que podem ser encontradas em cantos de muros. 

8) A ingestão de alimentos contaminados por ratos pode causar problemas para saúde 

Verdade. Ingerir qualquer alimento contaminado pelas fezes do rato pode causar salmonelose, mal que ocasiona diarréia intensa e fortes dores abdominais.

Fonte: Minha Vida

mais em blog