Conserv

A importância de dedetizar sua casa para a saúde dos pets

As pragas – como carrapatos, baratas, formigas e outros insetos – podem trazer diversos problemas à sua casa. Para solucionar estas questões, a prevenção acaba sendo sempre a melhor opção. A dedetização é muito importante, seja em ambientes públicos ou privados, para eliminar esses agentes transmissores de doenças e impedir que eles continuem no ambiente.

Quem tem animal de estimação em casa, no entanto, costuma ficar apreensivo a respeito do que fazer neste momento, com medo que a dedetização prejudique os animais domésticos. No entanto ela é essencial para garantir também o bem-estar de seus pets, evitando que essas pragas entre em contato com eles e transmitam doenças.

Para garantir o bem-estar de todos, no entanto, é essencial que este serviço seja feito por uma pessoa especializada. Pois só uma empresa especializada, com funcionários treinados, saberá as medidas necessárias para garantir segurança e bem-estar para sua família e seus animais de estimação.

Evitando as pulgas de entrarem no seu ambiente

Muitas infestações de pulgas e carrapatos podem acontecer dentro da sua casa, acabando com a velha teoria de que apenas os cães e gatos que vão para a rua podem pegar essas pragas. Afinal, uma vez infestados, é possível que muitas pulgas estejam no interior das residências – em frestas no piso, rodapés, carpetes ou tapetes – em forma de ovos, apenas esperando eclodirem para recomeçarem a infestação.

Esses ovos podem permanecer em sua casa – ou em outros ambientes considerados protegidos onde cães e gatos vivem – durante até um ano; e normalmente no verão, quando o calor e umidade aumentam, esses ovos se transformam nas temidas pulgas adultas. Por isso é essencial cuidar também do ambiente, fazendo com que esses ovos sejam eliminados e não deem a oportunidade de um novo ciclo de infestação começar.

Os riscos

Especificamente as pulgas, podem oferecer diversos riscos aos seus animais. Seu pet pode receber até 400 picadas por dia, causando as coceiras, desconfortos e até mesmo a possibilidade de desenvolver outras doenças ainda mais perigosas para seu bicho de estimação e as outras pessoas da casa, como a peste bubônica.

Mas além disso, outros animais também podem oferecer riscos, como as baratas, formigas e ratos. Isto porque esses animais podem contaminar os alimentos, e até mesmo levar outras bactérias e vírus para dentro de sua casa.

Animais como cachorros e gatos podem ainda ter o instinto de caçadores, vendo nessas pragas urbanas um possível alvo. O contato direto com esses animais e seu provável consumo por parte dos animais de portes maiores deve ser vigiado de perto. Se o seu cão ou felino estiveram em contato com tais pragas, fique atento a qualquer mudança de comportamento e procure um veterinário o quanto antes.

mais em blog

12 dicas para prevenir e controlar carrapatos

Criar cachorro não é fácil. Há que se prover alimento, água, vacinas, vermífugo, banhos... enfim, criar cachorro definitivamente não é tarefa das mais simples. Mas talvez o maior desafio de quem tem um amigo peludo seja mesmo acabar com a famigerada praga dos carrapatos.

Eles são feios, sugam sangue e transmitem doenças e, amigo, acabar com eles exige um trabalho colossal. 

Antes de tudo, é preciso ter em mente que o controle dessa praga só é alcançado através de um conjunto de medidas. Não pense você que uma simples coleira contra carrapato vai acabar com a infestação de seu bichinho, porque não vai. A coleira com certeza vai ajudar, mas é preciso tomar outras atitudes:

1 - Regularmente procure por carrapatos em seu animal. Cate e jogue-os em um pote com querosene (o álcool nem sempre os mata, a não ser que você os incinere);

2 - Cuide de seus animais com repelente ou carrapaticida tópico. Existem vários disponíveis no mercado. A maioria consiste em um líquido aplicado no dorso do animal, na região da nuca;

3 - Se seu cão é adulto e saudável, utilize uma coleira com carrapaticida;

4 - Da mesma forma, se seu cão é adulto e saudável, banhos com carrapaticida aplicados preferencialmente por um profissional, serão de grande ajuda;

5 - Há remédios de uso oral que podem ajudar no controle; consulte o veterinário;

6 - Em propriedades grandes, criar algumas galinhas é uma forma de controle biológico, pois elas comem os carrapatos;

7 - No ambiente, faça sempre uma boa limpeza (com os produtos adequados) nos locais onde o animal costuma ficar. Se necessário, recorra a uma empresa de dedetização e cuidado com animais e crianças;

8 - Carrapatos costumam subir pelas paredes e procurar frestas e cantinhos onde possam se esconder. Poucos ficam ao nível do solo, então, use uma bombinha de aspersão para os locais mais altos;

9 - Quando aplicamos o inseticida, matamos os carrapatos jovens e adultos. Os ovinhos normalmente não são mortos pois são muito resistentes. Portanto, repita essa limpeza cerca de dez a doze dias depois; para matar os carrapatinhos que acabaram de eclodir;

10 - Sempre que usar um produto tóxico, leia a bula e siga rigorosamente as instruções de segurança;

11 - Se você tiver um lança-chamas e não for do tipo psicopata, pode usá-lo para fazer a limpeza. Esse recurso é o que usamos nas clínicas / hospitais e mata inclusive os ovos do carrapato;

12 - E atenção: não existe vacina contra esse mal. O que popularmente se chama de “vacina do carrapato” é um produto usado em certas dermatopatias específicas. O uso indiscriminado dele pode inclusive destruir células do fígado do animal.

Por Max Moura, médico veterinário.

Fonte: http://bichinhosprecisamdelar.blogspot.com.br/

mais em blog